Ícone do site Pato Fu

Televisão de Cachorro (1998)

1. A Necrofilia da Arte

Imagens: Rede Minas (1998)

O álbum Televisão de Cachorro deu início a nossa parceria de três álbuns com Dudu Marotte, produtor essencial em nossa trajetória!

2. Antes Que Seja Tarde

olha, não sou daqui
me diga onde estou
não há tempo não há nada
que me faça ser quem sou


mas sem parar pra pensar
sigo estradas, sigo pistas pra me achar


nunca sei o que se passa
com as manias do lugar
porque sempre parto antes que comece a gostar

de ser igual, qualquer um
me sentir mais uma peça no final
cometendo um erro bobo, decimal

na verdade continuo sob a mesma condição
distraindo a verdade, enganando o coração

pelas minhas trilhas você perde a direção
não há placa nem pessoas informando aonde vão
penso outra vez estou sem meus amigos
e retomo a porta aberta dos perigos

na verdade continuo sob a mesma condição
distraindo a verdade, enganando o coração

Em 2021, a canção foi lançada em versão acústica nas plataformas de streaming e ganhou clipe com imagens de estrada e aparições da banda em programas de televisão.

3. Nunca Diga

Nunca Diga foi nossa primeira regravação da banda gaúcha Graforréia Xilarmônica. Alguns anos depois regravamos Eu (Ruído Rosa, 2001), um de nossos maiores hits. Em 2003 Takai cantou com Frank Jorge – um dos fundadores da Graforréia – a canção Lhamas.

4. Eu Sei

Direção: Hugo Prata

Gravamos esta canção como uma maneira de homenagear e agradecer o carinho que Renato Russo teve com a gente no início de nossa trajetória.

5. Licitação

Com Licitação e Enter Sandman fechamos nossa apresentação no Rock in Rio III (2001). Durante este número final, o dedo da Fernanda, que já estava machucado antes do show, começou a sangrar e viramos notícia no Jornal Nacional, algo como “Pato Fu deu o sangue pelo Rock”.

6. Vivo Num Morro

Versão “fique em Casa” (2020))

7. Um Dia, Um Ladrão

8. Canção Pra Você Viver Mais

nunca pensei um dia chegar
e te ouvir dizer
não é por mal
mas vou te fazer chorar
hoje vou te fazer chorar

não tenho muito tempo
tenho medo de ser um só
tenho medo de ser só um
alguém pra se lembrar

faz um tempo eu quis
fazer uma canção
pra você viver mais
faz um tempo que eu quis

deixei que tudo desaparecesse
e perto do fim
não pude mais encontrar
o amor ainda estava lá

“Esse título foi escrito por mim em uma folha de papel. Meu pai estava muito doente na época e eu queria fazer uma música pra dar de presente pra ele, dizendo o quanto eu gostava… Por que a gente sempre foi muito chegado e próximo como família, mas falava pouco isso, que gostava um do outro, como muita gente faz. Eu falei “Vou fazer uma música pro meu pai!” mas eu não consegui. Não sabia que era terminal o caso dele e então meu pai morreu e a música não ficou pronta. Um tempo depois o John leu aquele título e fez a música. Ele fez a música que eu queria ter feito pro meu pai, então ela tem uma carga emocional muito forte. No show as pessoas choram , às vezes eu choro, e aí quando eu choro, chora todo mundo. É uma música muito bonita, talvez uma das músicas mais bonitas que o John já fez , tem uma história real por trás, então acho que talvez por isso as pessoas se identifiquem tanto. Outras pessoas gostam da música por achar que é uma música de amor, de casal… É uma musica de uma amor mesmo, de um amor maior! Ela é muito especial pra gente.”
(Fernanda Takai, Chat UOL 23/07/2007) 

Durante a Pandemia do Covid-19 muitas pessoas buscaram conforto nesta canção. Nosso tecladista, Richard Neves, gravou uma versão neste momento tão delicado.

Fotos: Matheus José Maria | Edição: Dudi Polonis

9. Tempestade

imagens: Rede Minas (1998)

“Tempestade, do grupo braziliense Maskavo Roots, ganhou roupagem bem diferente da original, com direito à citação de In Between Days, de Robert “Cure” Smith. Por sinal, na última edição do Hollywood Rock, em 96, o Pato Fu pôde encontrar com Robert Smith e trocar figurinhas com o líder do Cure.” (Trecho do release oficial do disco Televisão de Cachorro por Antônio Carlos Miguel)

10. O Mundo Não Mudou

Ao vivo no Studio SP (2012) | vídeo: Bruno Capelas

11. Televisão de Cachorro

imagens: live Cultura em Casa (2021) + Rede Minas (1998)

12. Spaceballs, The Ballad

Canção original da banda Yellowfante, do nosso amigo Bob Faria. Junto com Takai e John, Bob formava a banda Surtados por um Gesto, projeto embrionário do Pato Fu.

demo da banda Sustados por um Gesto

Você pode baixar a demo Sustados por um Japs no site Demo-tapes Brasil

13. Boa Noite

FICHA TÉCNICA

Produção: Dudu Marote
Direção Artística: Jorge Davidson
Coordenação Artística: Maurício Valladares
Gravação e Mixagem: Luis Paulo Serafim
Masterizado: Leon Zervos @ Absolute Audio
Gerente de Produto: Aline Sant’Anna
Assistente de Produção: DJ Som 3
Estúdios: Negam Dr. Dd, Be Bop e Discover
Gravações Adicionais: Getúlio, Enrico Romano, Rodrigo Paciência, Rogério Pereira e Rodrigo
Assistentes de Estúdio: Márcio Thees, Max PA, Carlos Blau, Pedro Cortes, Joy Passarelli
Roadies: Luiz Otávio Âmbar e Kerley Gonçalves
Produção Executiva: Aluizer Malab
Assistente de Produção Executiva (Dudinka): Luciana Meula e Tatiana

Direção de Arte: Libra Comunicação – Augusto COelho e Cyrillo
Fotografia: Márcio Rodrigues e Marcos Mendes – Lumini
Assistente de Fotografia: Rogério Felisberto
Make Up: Alexander Dário

Pato Fu
Fernanda Takai: Vocal, guitarra e violão
John: Vocal, guitarra, violão e programação eletrônica
Ricardo Koctus: VOcal e baixo
Xande Tamietti: Bateria e percussões

Participações Especiais:
· Vivo Num Morro: Arranjo de Metais: Ed Côrtes; Trumpet: Nahor Gomes; Trombone: Sifnei Borgani; Sax Tenor e Baritono: Ed Côrtes; Percussão: James Muller
· Licitação: Vozes Personagens: André Abujamra e Edu K; Coro “Nanana”: André Abujamra,, Edu K, Marcos Bowie e John; Berros Solo Extras: Ricardo Koctus; Berros Resposta: Rocardo Koctus, John, Dudu Marote e ALuizer Malab; Percussão: James Müller

Agradecimentos:
Famílias e amigos do corsação, fã-clubes, internautas e #patofu, Robinson Mioshi, Webmasters não-oficiais, Tutti Maravilha, Felipe Barreto, Adriano Falabella, MTV, Guitar Shop, Ademir, pessoal dos estúdios Dr. Dr, Be Bop, Mega, Discover e Bemol, Ronaldo Gino, Barral, Brazil Percussion, Microtronix, Mesa Boogie, Royal, Rickenbacker, Póli, Marcelo Lopes, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá, Maskavo Roots, Graforréia Xilarmônica, Bob Faria, Rubinho Troll, Edu K, André Abujamra, Marcos Bowie, James Müller, Kurtz, Meny Lopes, Gilberto Gil, Ronaldo Fraga, BMG Brasil, Ed Côrtes, Gaguinho, Luizinho, Primo, Bruno Pingo, Simone, Viviane, DJ Som 3, Pedro Borges, AKG, Octávio Britto, Cláaudia Tognalli · John usa guitarra Fernandes · Rocardo Koctus usa baixos ACS · Pato Fu veste Ronaldo Fraga

*Todas as Músicas são editadas pela BMG Music Pub Brasil, exceto: A Necrofilia da arte: Gapa (Warner Chappell); Nunca diga: Warner Chappell; Eu sei: EMI; Tempestade: Waner Chapell; Spaceballs, the Ballad: Cogumelo

Foto: Nino Andrés (1998)
Sair da versão mobile